Como utilizar a TRI para aumentar o seu argumento no ENEM?



Existe a chamada Teoria clássica dos testes:

Imagina uma prova composta por 10 questões e que entre elas você tem:

  • 4 de nível + fácil,

  • 4 de de nível + difícil

  • 2 de nível intermediário.

Você acertou as 4 mais fáceis, seu score é 4 em 10.

Seu colega acertou as 4 mais difíceis, o score dele também é 4 em 10.

Ou seja, em provas tradicionais, iguais quantitativos vão trazer iguais resultados.



Só que para a TRI vocês dois terão pontuações distintas.


A Teoria de Resposta ao Item é o modelo utilizado para calcular a sua nota do ENEM. (Leia-se item como a questão da prova)

Se você acertou 4/10 (Fácil),

E seu colega 4/10 (Difícil),

Pela TRI, o cálculo vai ser maior para você, que acertou as 4 mais fáceis, do que para ele que acertou as 4 mais difíceis.


E como usar isso a seu favor?

Para a TRI, a nota é calculada pela probabilidade de você acertar uma questão em função da sua habilidade quanto aqueles conteúdos e em função de 3 parâmetros estatísticos:

  • Habilidade (teta)

  • discriminação do item (a)

  • Dificuldade (b)

  • Acerto aleatório/chute (c)

Cada questão tem uma curva característica do item que mostra a chance de você acertá-la.

Quanto maior a sua habilidade, mais perto você está de acertar a questão.

Como colocar esse conhecimento em prática?

Comece pelas questões mais fáceis, que irão garantir um melhor desempenho.

Depois que resolver as mais fáceis, passe para as intermediárias e depois as mais difíceis.

Seja coerente e você será privilegiado, pois irá garantir uma ótima pontuação.

Não deixe de fazer provas anteriores. Elas serão os melhores simulados que você irá realizar. Ao final, pegue o gabarito e veja se você foi atrás das questões mais fáceis, treine esse olhar e compreenda melhor o seu tempo de prova.




218 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo